Homepage

Sporting Clube da Cruz 1 – C.D. Portugal 2

Ludgero Costa
19 de novembro de 2012

Quem não marca, sofre…

         Mais um jogo disputado pelos juvenis e infelizmente mais uma derrota. Uma derrota num jogo que dominamos o adversário do primeiro ao último minuto, um jogo onde mais uma vez a estrelinha da sorte não esteve com a nossa equipa.

         Os nossos miúdos entraram em campo com vontade de ganhar o jogo e logo desde o primeiro minuto as oportunidades iam-se sucedendo na área do Desportivo que defendia como podia, aos 36 minutos num dos raros contra ataques do Desportivo, numa jogada confusa pelo lado direito com o nosso adversário a ganhar um ressalto de bola e com num pontapé colocado sem hipótese de defesa inaugurou o marcador, mostrando como o futebol é injusto e nem sempre quem joga melhor é que marca.

         Mesmo a faltar quatro minutos para o intervalo o Cruz poderia ter dado a volta ao marcador e sair para o descanso na frente do resultado, mas repetidamente a bola nunca entrava, ou encontrava o guarda-redes, que foi para mim o melhor jogador em campo, ou os nossos avançados rematavam para fora.   

         A segunda parte começou novamente com o Cruz a sufocar o adversário e logo ao primeiro minuto tivemos a oportunidade mais flagrante do jogo na marcação de uma grande penalidade a castigar uma entrada faltosa sobre o Xixa, mas um azar nunca vem só, o mesmo Xixa encarrega-se da marcação do castigo máximo mas o guarda-redes adversário faz uma excelente defesa, negando o empate á nossa equipa.

         O desanimo no campo e na bancada era muito, sentia-se a injustiça do resultado, finalmente 10 minutos depois o Huguinho numa jogada também ela confusa consegui-o furar a muralha defensiva do Desportivo e fazer o primeiro golo, empatando a jogo.

Esperava-se a todo o momento que entra-se o segundo golo, mas teimosamente não apareceu para o lado do Cruz, foi aparecer para o nosso adversário que jogava no pontapé para a frente, metendo bolas nas costas da nossa defesa e numa dessas jogadas a bola é cortada pela linha lateral, desse lançamento vai nascer o segundo golo, a bola não é afastada da frente da nossa área e surge na zona frontal um jogador livre de marcação que tem tempo para preparar o remate e desfeitear o nosso guarda-redes que mais uma vez nada pode fazer para evitar o golo.

Faltavam vinte minutos para o término da partida e mais do mesmo, Cruz balanceado no ataque criando ocasiões em catadupa e ocasionalmente bolas metidas para as costas da nossa defesa que causavam calafrios no banco de suplentes e nos nossos adeptos.  

Quem segue esta equipa deve questionar-se como é possível estes resultados, esta falta de sorte, ainda hoje um terço das oportunidades criadas dava para um resultado de goleada, as bolas teimam em não entrar, mas como diz o ditado “não há fome que não dê em fartura” e ainda vamos poder comemorar muitos golos.

O próximo jogo será disputado no Parque de Jogos Soares dos Reis em Vila Nova de Gaia, contra o Vilanovense F.C. no dia 25 de novembro pelas 10 horas da manhã, contamos com o apoio de todos e esperamos que seja desta vez que se quebre a “malapata” e possamos construir uma vitória que devolva algum ânimo aos nossos miúdos que tem lutado e merecem resultados melhores do que os realizados até agora.

Todos juntos vamos dizer presente no próximo jogo e ajudar na vitória, pois só juntos é que podemos vencer.

 Força Cruz

Adicionar comentário


Receber novidades