Homepage

Desfecho amargo para época doce

S.C.Cruz 2- SC Rio de Moinhos 2

Miguel Cunha
9 de maio de 2012

Disputou-se no dia 6 de Maio pelas 11h o último jogo da equipa de juvenis do Sp. Cruz, já virtual campeão da 2.ª fase, e o Rio de Moinhos. E no que se pretendia que fosse uma boa exibição, os jogadores não mais deram do que uma pálida imagem da sua verdadeira capacidade. Foi uma primeira parte fraca para os caseiros, que se apresentaram desorganizados defensivamente, a falhar passes de curto e médio alcance e a cair num excessivo individualismo que viria a condicionar decisivamente o resultado final da partida. Algumas foram as ocasiões em que, numa situação de superioridade numérica gritante na área adversária, os jogadores optaram por más decisões, colocando os interesses individuais à frente dos colectivos. E como quem não marca sofre, o adversário deu uma verdadeira lição de eficácia ofensiva. Concretizou as duas oportunidades de que dispôs, como resultado de passes de ruptura bem efectuados e que isolaram os seus jogadores na cara do nosso guarda-redes Pinto, de volta às redes e como capitão como agradecimento pelo esforço a que havia sido sujeito nos últimos 6 jogos em que jogou fora da sua posição.

Na segunda parte, após correcções efectuadas ao intervalo, essencialmente ao nível mental, apareceu em campo uma equipa transfigurada. Com o caudal ofensivo a que habituou os presentes durante a época, as oportunidades de golo sucediam-se. Foi sem surpresa que o Cruz chegou ao golo por intermédio de Orlando, a corrigir oportunamente em antecipação ao guarda-redes adversário um cruzamento vindo da esquerda efectuado por Bruno Sousa.  Com a incerteza no marcador novamente instaurada, e após poucos minutos, eis que surge o segundo golo, marcado por Bruno Sousa, numa segunda bola vinda na sequência de um canto batido por André Machado. Com o empate alcançado e ainda com 20 minutos para jogar, faltou aos jogadores mais tranquilidade e clarividência, no entanto conseguiram dispor de variadíssimas hipóteses de se adiantar no marcador. Infelizmente, nenhuma delas foi concretizada, e o resultado final havia de se saldar mesmo por um amargo 2-2.

Não era o final de época pretendido e não era certamente a exibição com que queríamos brindar as pessoas que nos apoiaram durante toda a competição.  Não obstante, é importante enaltecer a capacidade guerreira destes miúdos que, apesar de todas as contrariedades sobejamente conhecidas, conseguiram alcançar a melhor classificação do escalão nos últimos anos, com um 4.º lugar no campeonato e um 1.º lugar na segunda fase. Pelo meio, um 1.º lugar também no torneio “Ria de Aveiro”. A si, caro leitor, um obrigado pelo interesse demonstrado e, quiçá, pelo apoio prestado, por parte de todos os que pertencem e que trabalham com este escalão. Até para o ano!

 Miguel Cunha

Treinador dos Juvenis

Adicionar comentário


Receber novidades