Homepage

Sporting Clube da Cruz 7 – C.C. Desportivo de Sobrosa 0

Ludgero Costa
9 de abril de 2012

Segundo a historiadora americana “Chris Hoopes”, em 1610 quando Luís XIII subiu ao trono da França ordenou que a corporação militar de elite que servia como escolta pessoal do rei fosse conhecida como os “Mosqueteiros”.

         Este grupo de elite era composto por 100 homens que recebiam treino específico em esgrima, tiro ao alvo e táticas de combate, além de aulas sobre a refinada etiqueta da corte francesa. Ao longo dos séculos o grupo cresceu ou foi dissolvido ao sabor das intrigas políticas da França e das intrigas que existiam também dentro do próprio grupo.

         No Século 19 (1815), os Mosqueteiros deixaram de existir tendo sido imortalizados no livro “Os Três Mosqueteiros”, publicado em 1844 pelo romancista francês Alexandre Dumas, onde a famosa frase “Um por todos e todos por um” valoriza o valor da união e da confiança entre indivíduos diferentes, reunidos no mesmo objetivo. 

         Assim está a equipa de Juvenis do Sporting Clube da Cruz, começou com um plantel de 22 atletas, entre castigos disciplinares aplicados pela direção e desistências, estamos agora resumidos a 14, mas posso dizer que nunca como agora vi esta equipa tão unida e tão reunida na vontade de ganhar.

         Neste domingo foi um grupo de “Mosqueteiros” que tivemos em campo e que unidos lutaram contra o C.C.D. Sobrosa, o nosso adversário vinha moralizado pois tinha ganho na jornada anterior ao “Perafita”, equipa que nos infringiu um derrota na primeira ronda desta segunda série, era legítimo pensarem que teriam um jogo simples, qual não foi a surpresa quando viram um jogo de sentido único, onde a baliza do Sobrosa estava sempre em perigo. O Cruz marcou 7 golos, mas poderia ter marcado muitos mais, não fosse o excelente guarda-redes que se apresentou entre os postes da baliza do Sobrosa, que retardou até aos 23 minutos o primeiro golo do Cruz, esse golo que foi marcado pelo Pinto numa recarga depois da marcação de um canto pelo lado esquerdo.

         O guarda-redes do Sobrosa continuou a dar nas vistas retardando o segundo golo do Cruz, só aos 51 minutos o Orlando cruza pela esquerda, o Huguinho amorteceu para o Bruno Sousa marcar o segundo golo.

         A partir daqui foi uma catadupa de golos, aos 60 o Huguinho marcou a cruzamento do Orlando, aos 61 minutos numa cavalgada do Orlando que arranca do meio campo e faz o 4º golo, aos 64 minutos novamente o Orlando a faturar a passe do Tostas, o Tostas fez o 6 golo de pontapé de grande penalidade conquistada pelo Bruno Sousa, o número 10, Bruno Sousa fechou o marcador com um excelente golo aos 76 minutos.

         O nosso domínio foi tão grande que o delegado do Sobrosa em tom de brincadeira confidenciou-o na cabine dos árbitros e passo a citar, “ … eu peço imensa desculpa, mas se sabia que ia sofrer tantos golos, mais valia não termos comparecido …”       

         Agora temos uma semana de intervalo no campeonato, vamos aproveitar para disputar um torneio em São Jacinto – Aveiro, convidados pelo clube organizador o Clube Desportivo Furadouro. O Cruz quer conquistar o prémio maior em disputa e quer deixar marcado na memória dos habitantes locais o nome do Sporting Clube da Cruz, o campeonato volta no dia 14 de Abril, pelas 16 horas no campo do A.R.D. Macieira em Lousada, onde vamos querer conquistar mais 3 pontos para manter-mos valida a vontade do primeiro lugar nesta prova.

         Que os nossos jovens jogadores continuem com esta garra e com esta entre ajuda, porque isto prova que sempre tive razão, juntos somos muito mais fortes…

          Força Cruz

Adicionar comentário


Receber novidades